Skip to main content

O que de fato é a reserva de emergência?

Publicado em 19 de abril de 2023
Compartilhar

Equilibrar as contas e fazer um planejamento para guardar uma quantia de dinheiro, que possa ser usada com gastos inesperados, é uma preocupação que todos deveriam ter.

Essa reserva de emergência é uma garantia de você conseguirá lidar com imprevistos financeiros sem impactar o seu orçamento.

Você deve estar se perguntando: mas qual é o valor necessário para ter essa reserva?

Em geral, a indicação é ter 6 meses de despesas cobertas, como alimentação, moradia, saúde e outros itens básicos.

Ou seja, o montante a ser guardado vai depender do seu padrão de vida e da sua fonte de renda. Profissionais autônomos, por exemplo, precisam reservar uma quantia maior ou estender esse período para 9 a 12 meses. Já funcionários públicos, por terem empregos mais estáveis, podem optar por 3 a 4 meses.

Importante lembrar que esse dinheiro não deve ficar parado em uma conta-corrente. Pelo contrário! Uma boa estratégia de investimentos ajudará no rendimento, sem comprometer o acesso rápido para resgate.

Quer saber onde investir? Continue lendo.

Ao investir a sua reserva de emergência, você precisa pensar em 3 pontos fundamentais: segurança, liquidez e rentabilidade.

As principais alternativas que abrangem essas três necessidades são Tesouro Selic Simples, CDB com liquidez diária e Fundos de renda fixa.

Para saber qual das opções é mais interessante para o seu momento de vida e, também, seus objetivos, é essencial ter um assessor de investimentos que possa te ajudar com essas estratégias.

Fale com o nosso time!